Centro de Cardiologia de São Lázaro Lda, Exames Diagnóstico

 
 
 

Ecocardiograma E Doppler Cardíaco

 
O ecocardiograma é um exame simples, não invasivo, sem utilização de radiação, que permite observar as estruturas e o funcionamento do coração. É hoje um exame fundamental no estudo das doenças cardíacas.

O ecocardiograma convencional (designado bidimensional e Modo M) consiste na utilização de ondas sonoras (ultra-sons) enviadas por um dispositivo (transdutor) que é aplicado irmemente contra a pele do peito, em direcção ao coração. As ondas sonoras são depois reflectidas pelas diferentes estruturas do coração (ecos das ondas) e novamente captadas pelo transdutor, sendo convertidas por um computador em imagens em movimento. Desta forma consegue-se avaliar as cavidades e as válvulas cardíacas, bem como a capacidade do coração bombear o sangue.

O ecocardiograma convencional (bidimensional e modo M) pode ser complementado com o estudo Doppler Cardíaco.
Quando as ondas sonoras são reflectidas pelas células do sangue que se deslocam através das válvulas cardíacas e dos vasos sanguíneos, elas mudam de “tonalidade” (sinais Doppler), sendo possível assim medir a velocidade e a direcção do fluxo de sangue no coração. Esta função Doppler (nos seus tipos Contínuo, Pulsado e Eco-Cor) permite complementar a avaliação das estruturas cardíacas, nomeadamente o funcionamento das válvulas do coração através da análise dos fluxos sanguíneos intracardíacos e do cálculo das respectivas velocidades.

O ecocardiograma não tem contra-indicações nem requer qualquer preparação especial
 
 
 

Prova De Esforço

 
 
A prova de esforço é um exame não invasivo que consiste na realização de exercício físico sob vigilância médica, com monitorização contínua do electrocardiograma, da tensão arterial e clínica.

A prova de esforço é sobretudo útil no diagnóstico de patologia cardíaca que se manifeste predominantemente com o esforço, nomeadamente doença cardíaca isquémica (angina de peito) e arritmias.
Entre outras indicações permite também a avaliação da capacidade funcional e a aferição da segurança de um programa de exercício proposto.

O tipo de exercício utilizado na nossa clínica é a marcha em tapete rolante (treadmill), com aumento progressivo da carga (velocidade e inclinação).

Não é necessária preparação especial para a realização do esforço; no entanto, e dado que a prova de esforço corresponde a uma sobrecarga para o organismo, não deve ser realizada nem em jejum, nem após uma refeição. Deve utilizar-se vestuário confortável que permita o movimento fácil das pernas e calçado também adequado.
 
 
 
Durante a realização do esforço há necessidade de colocação de eléctrodos no tórax para a monitorização do ECG pelo que nos homens com distribuição pilosa acentuada ao nível do tórax poderá ser necessário depilar os locais onde se colocam os eléctrodos.

A prova de esforço é dada por terminada quando o paciente não tolera continuar a fazer o esforço, quando surge evidência de doença cardíaca que contra-indique a continuação do esforço ou quando é atingida a frequência cardíaca que permite considerar o teste normal.

Dado que a prova de esforço corresponde a uma sobrecarga para o organismo, e também para o coração, existe a possibilidade de complicações cardíacas. Estas complicações são muito raras e ocorrem sobretudo na presença de doença coronária grave e descompensada ou de arritmias graves. Existem várias contra-indicações para a realização da prova de esforço, que devem ser identificadas pelo médico antes de iniciar a prova. A possibilidade de complicações, embora muito rara, justifica a necessidade do local estar equipado com as condições para reanimação cardiovascular e a presença de um médico cardiologista.

A interpretação dos resultados da prova de esforço é da responsabilidade do cardiologista.
 
 
 
 
 
 

Holter 24 Horas

 
O Holter (Electrocardiograma Dinâmico) consiste no registo electrocardiográfico contínuo durante períodos longos, geralmente 24 horas (período que engloba um ciclo de vida completo, com as suas fases de repouso e actividade).

São colocados uns eléctrodos no tórax do paciente, que se ligam a um pequeno aparelho de registo do ritmo cardíaco (alimentado por baterias), que pode ser colocado num bolso ou numa pequena bolsa que se coloca no cinto.

O registo de toda a informação da actividade eléctrica cardíaca durante esse período, possibilita uma correlação entre os sintomas que o paciente apresente (palpitações, síncope, tonturas, dor torácica…) e eventuais alterações da actividade eléctrica do coração (arritmias, bloqueios, isquemia…). É muito importante que o paciente registe de forma precisa os sintomas e actividades de forma a que o médico cardiologista possa relacioná-los com os registos da monitorização.

Não há nenhuma preparação especial para este exame. Durante o tempo de realização do exame, o paciente não poderá tomar banho ou molhar-se para não interferir com a fixação dos eléctrodos no tórax. Com excepção deste facto, o paciente deverá proceder a toda a sua actividade normal do dia-a-dia.

Deve ser evitada a exposição a ímanes, detectores de metal, cobertores eléctricos e zonas de alta voltagem.

Não existe nenhum tipo de efeito secundário associado a este exame. É possível que seja necessário depilar o tórax nas zonas de colocação dos eléctrodos para que estes se fixem.

Este exame não tem riscos associados.
 
 
 

Electrocardiograma

 
O Electrocardiograma (ECG) é um exame que permite detectar potenciais eléctricos gerados no coração. Para isso utilizam-se eléctrodos que são colocados na pele em determinadas localizações (membros e tórax). Por combinação destes eléctrodos obtêm-se «derivações» que correspondem a diferentes formas de analisar o estímulo eléctrico ao longo do ciclo cardíaco. O ECG consiste no registo dessa actividade eléctrica.

A análise do ECG pode permitir detectar várias alterações como distúrbios do ritmo cardíaco (arritmias) e da condução do estímulo eléctrico (bloqueios), aumento da dimensão das cavidades cardíacas e da espessura das paredes, isquemia miocárdica (irrigação insuficiente do músculo cardíaco), etc.

O electrocardiograma é habitualmente realizado por um técnico de apoio ao cardiologista. A análise do registo e a elaboração do respectivo relatório é da responsabilidade do médico cardiologista.

O ECG não necessita de qualquer preparação especial, não tem quaisquer complicações e pode ser repetido múltiplas vezes sem qualquer risco.

O ECG é um exame rápido, de fácil realização, que pode fornecer muita informação importante.
 
 
 

Monitorização Ambulatória Da Pressão Arterial

 
A Monitorização Ambulatória da Pressão Arterial (MAPA) é uma técnica que permite obter múltiplos valores da tensão arterial ao longo de um período de 24 horas.

A sua grande vantagem está na possibilidade de se obter um conjunto de medições da tensão arterial nas circunstâncias da vida normal (e não apenas nos consultórios médicos) e durante o sono.

Assim é um exame importante para o diagnóstico correcto de hipertensão arterial (HTA), para a detecção da HTA de bata branca, para estudo da HTA de difícil controlo ou refractária, para a avaliação da terapêutica anti-hipertensora, etc.

Para a realização da MAPA é necessária a colocação num dos braços de uma braçadeira semelhante à utilizada para a determinação da tensão arterial que está ligada a um pequeno aparelho que promove a sua insuflação automática e periódica e regista os valores medidos. Essa registadora é alimentada por baterias e geralmente é transportada num bolso ou numa pequena bolsa que se adapta ao cinto do paciente.

Os dados gravados na registadora são depois analisados pelo médico cardiologista.

Este exame não carece de qualquer preparação especial.